terça-feira, 21 de setembro de 2010

Homenagem ao Gaúcho 
Desgarrado do Pago



Ontem dia 20 de Setembro, Dia do Gaúcho, é um dia muito importante para todos os Gaúchos.
A Revolução Farroupilha foi o mais longo e um dos mais significativos movimentos de revoltas civis brasileiros contra o Império. O marco inicial ocorreu no amanhecer de 20 de setembro de 1835, quando Gomes Jardim e Onofre Pires, liderando homens armados, entraram em Porto Alegre pela Ponte da Azenha. O movimento, que tinha como pano de fundo os ideais liberais, federalistas e republicanos, durou cerca de dez anos e chegou a proclamar a República Rio-Grandense, tendo como capital a cidade de Piratini.

Fica aqui uma homenagem que recebi por email:

Aos Desgarrados do Pago


À todos os gaúchos que vivem em outros estados e países, que mesmo estando tão longe de sua querência,

...ainda guardam
 no coração a lembrança das tradições,

...e não esquecem dos seus pais, parentes e amigos que saudosos ficaram,


Lembra das rodas de mate da reunião de amigos e parentes prá jogar 
conversa fora.

...do churrasco,
...das músicas, das danças,
...lembra do amor que existe no seio da família, que envolve e ensina o gaúcho desde piá a ser homem corajoso, 
e respeitador das prendas e
dos costumes.

Aos desgarrados do pago,
que tem no peito uma ânsia
de encurtar a distância
da querência onde nasceu.

...estou trazendo notícias,
 numa cantiga de afago,
...e o recado que trago,
 ao filho que se perdeu,
...o Rio Grande não esquece,
de todos os desgarrados,
que mesmo estando afastados,


...não perdem a identidade, e o que mais tem importância do tamanho da distância,

...sempre é menor que a saudade.

Quando tu fostes embora,
prá viver nova experiência,

...saibas que a terra que amas
 também chorou tua ausência.
...e o recado que trago,
 ao filho que se perdeu,
...o Rio Grande não esquece,
de todos os desgarrados,
que mesmo estando afastados,


...não perdem a identidade, e o que mais tem importância do tamanho da distância,

...sempre é menor que a saudade.


Quando tu fostes embora,
prá viver nova experiência,


...saibas que a terra que amas
 também chorou tua ausência.

Se um dia o céu te chamar,
marcando o fim da existência,


...morre gritando Rio Grande e manda 
a alma prá querência.

Vou te dar outras notícias,
prá te deixar mais contente,
o cantar da nossa gente,
está bem mais xucro e mais chão.



Quiseram fazer mudanças
no nosso regionalismo,

...mas o puro gauchismo,
 ainda joga de mão,
...nesta cordeona que escutas,
fazendo amparo pro tema, 
sonorizando um poema
 despretensioso que fiz, é uma homenagem sincera,
 no coração deste cuera,
prá te fazer mais feliz.

Quando fizeres um fogo,
prá um churrasquito na brasa,
sei que vais lembrar de casa,
do fogonear no galpão,

 não te envergonhes
 de nada, se a saudade te abraça, junta o choro da fumaça, ao pranto do coração.


Fale do pampa gaúcho,
com orgulho e reverência.


Não te esqueças da Querência,
que ela nunca te esqueceu.
Não sei porque foste embora, mas quando achares que é hora, volta que o pago ainda 
é teu.




Autor: Leonardo

1 comentário:

Diego Soares disse...

Mana, o blog está muito legal!! Fiquei com saudades... Da minha irmã querida, do meu cunhado, do meu sobrinho, da minha gente e da minha terra. Beijos.